Uma mulher segurando a barriga na região do estogamo e com a outra mão tampando a boca, com os dizeres: Como saber se é azia ou refluxo gastroesofágico?

Como saber se é azia ou refluxo gastroesofágico?

Data de publicação: 02/05/2019 11:01:00
Categoria: Doenças e Sintomas

A azia é uma sensação conhecida por muitos: uma queimação que começa no estômago e parece chegar até a boca. Mais comum nas primeiras horas logo após a refeição, esse é um desconforto que pode sinalizar um problema mais grave, o refluxo gastroesofágico (DRGE), a forma mais intensa e crônica do refluxo.

Essa queimação é um dos principais sintomas dessa doença que pode ser causada por alterações na passagem entre o esôfago e o estômago, permitindo que os alimentos retornem. Outras possíveis razões para o surgimento de DRGE são a hérnia de hiato ou a fragilidade dos músculos na região.

A azia é um sintoma do refluxo e do refluxo gastroesofágico, mas também pode estar relacionada à alimentação excessiva ou inadequada. Já o refluxo é causado por um problema na válvula de contenção localizada entre o estômago e o esôfago, que permite que alimentos e ácidos do estômago retornem ao esôfago.

Por fim, o refluxo gastroesofágico é caracterizado pela ocorrência frequente de refluxo, capaz de causar úlceras, sangramento, esôfago de Barrett e até mesmo câncer. A endoscopia e a análise clínica são as melhores formas de diagnóstico para esse tipo de doença.

O refluxo é caracterizado pelo retorno dos alimentos, junto com suco gástrico para o esôfago. Esse órgão, que conduz os alimentos até o estômago, não tem sua mucosa preparada para receber os ácidos da digestão e, por isso, surgem sintomas como a queimação. Esse conteúdo gástrico também pode atingir a boca, a laringe e os pulmões, chegando a causar alterações dentárias, entre outros problemas.

Tosse seca, dor intensa no tórax – e que pode ser confundida com ataques cardíacos –, e doenças pulmonares como a asma, bronquite e pneumonia, também podem ser causadas pelo refluxo crônico.

Comer antes de ir para a cama pode ser um problema, já que a posição de repouso facilita o retorno dos alimentos, sobretudo quando as refeições são volumosas. A obesidade também é um fator de risco para essa doença, assim como o aumento da pressão intra-abdominal, a gravidez e a ingestão de determinados alimentos. Café, chá preto, chocolate, chá mate, molho de tomate, comidas ácidas, e bebidas gasosas e alcóolicas podem ser gatilhos para o problema.

Como o refluxo é tratado?
Além de medicamentos, que ajudam a reduzir a produção de ácidos pelo estômago, a recomendação médica é que pacientes com refluxo evitem alimentos que agravem o problema, percam peso, evitem comer pouco antes de se deitar e pratiquem atividades físicas.

Em casos mais sérios de refluxo gastroesofágico, causados pela hérnia de hiato, ou quando o paciente não responde bem aos medicamentos, é preciso submetê-lo a procedimento cirúrgico, já que com o tempo o refluxo constante pode aumentar as chances de desenvolvimento de câncer no esôfago.

Além dos cuidados para quem já sente azia frequentemente, existem recomendações para prevenir que o problema piore. A automedicação é contraindicada, assim como fumar, usar roupas ou acessórios que pressionem o abdômen, realizar refeições robustas, e deitar-se após a alimentação.

Atenção!
Em crianças, episódios de refluxo podem acontecer devido aos tecidos ainda em formação, na transição entre o estômago e o esôfago. Por isso é importante dar atenção a elas logo após as refeições para evitar engasgamentos.

As dores da azia podem ser confundidas com problemas cardíacos como a angina ou o ataque cardíaco. Porém, se essa for provocada por esforços físicos, e acompanhada de náuseas, tontura, falta de ar, e dores na mandíbula ou no braço, procure um médico imediatamente.

Fontes

Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Talita
Designer: Raphael Alpoim
Diretor técnico: Geraldo Majella

  • Gostou? Compartilhe: