Mal de Parkinson: o que você precisa saber sobre a doença SalutemPlus

Mal de Parkinson: o que você precisa saber sobre a doença

Data de publicação: 02/10/2018 16:06:00
Categoria: Doenças

Mais que tremores nas mãos, a doença de Parkinson causa perdas motoras e cognitivas progressivas para o paciente. A doença degenerativa do sistema nervoso central, que não tem causas definidas ou cura, atinge cerca de 1% da população acima dos 65 anos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). A estimativa é que, no Brasil, a doença afeta pelo menos 200 mil pessoas.

Mudanças internas no cérebro
Entre as substâncias que atuam no cérebro humano está a dopamina, responsável pela condução de correntes nervosas pelo corpo, sendo parte importante no controle dos movimentos. A degeneração de células cerebrais que produzem essa substância é a causa do Mal de Parkinson.

Como as células cerebrais não se regeneram, a perda dos neurônios produtores de dopamina é progressiva e irreversível, fazendo com que a doença de Parkinson possa ser retardada, mas não curada.

Quais são os sintomas da doença e como é feito o diagnóstico?
Não há teste específico para identificar a Doença de Parkinson. O diagnóstico é clínico, sendo observados os sintomas do paciente, assim como seu histórico. Os sintomas motores são observados como os principais indicadores da doença.

Entre os critérios considerados pelos médicos para o diagnóstico está a lentidão dos movimentos. Caso ela esteja associada a outros sinais da doença, como tremores em repouso, rigidez muscular, e instabilidade na postura, a enfermidade é diagnosticada.

Além dos sinais motores, o Parkinson pode ter outros sintomas variados, como o desgaste da cognição, o desenvolvimento de ansiedade e de depressão, a fadiga, a insônia, e problemas para falar, engolir, sentir cheiros e enxergar. Esses sinais podem surgir antes ou depois das dificuldades de controlar os movimentos.

Os sintomas da doença avançam de acordo com seu estágio, que pode demorar mais de uma década para chegar ao seu nível mais grave. Em geral, o desenvolvimento da doença é gradual e vagaroso. Em seu estágio mais avançado, as alucinações, a confusão e a demência são comuns, e o paciente acaba por perder sua autonomia.

O que causa o Parkinson e como evitar a doença?
Não existe uma causa declarada para a Doença de Parkinson, que aparentemente não está relacionada ao histórico familiar. É possível que a enfermidade seja causada por predisposição do indivíduo, assim como a influência de fatores ambientais.

Portanto, não é possível prevenir-se contra a doença, mas é indicado buscar ajuda médica na presença de quaisquer um dos sintomas, já que um diagnóstico prematuro pode ajudar no controle da enfermidade.

Quais sinais devem ser observados?
Alguns sinais da doença podem ajudar no diagnóstico precoce. Entre eles está a diminuição do tamanho da caligrafia, já que o sistema motor começa a ser comprometido. A letra da pessoa com Parkinson fica cada vez menor, e as palavras mais próximas. É comum que a escrita comece normal e vá diminuindo ao longo do exercício de escrita.

Tremores em dedos, nas mãos ou nos pés, quando em repouso, são os sintomas mais reconhecíveis do Parkinson, e nos estágios iniciais da doença, é possível que apenas o paciente note a recorrência deles.

Também estão entre os sinais de alerta as mudanças na postura, que pode ficar mais inclinada; movimentos involuntários, que podem até mesmo atrapalhar o sono; e mudanças na voz, que pode ficar mais baixa e rouca.

Como é feito o tratamento contra a Doença de Parkinson?
O tratamento para a Doença de Parkinson é baseado nos sintomas e no retardamento do seu progresso. Além de medicamentos, a fisioterapia, o tratamento fonoaudiólogo e a terapia ocupacional são aliados na luta contra o progresso da enfermidade.

Estudos estadunidenses indicam que a prática de exercícios físicos também pode contribuir para o retardamento da doença, mas todo e qualquer cuidado para combater o Mal de Parkinson deve ser orientado por um médico.

Fontes

Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim
Diretor técnico: Geraldo Majella


  • Gostou? Compartilhe: