Amamentação: quais são os benefícios para você e para seu bebê? SalutemPlus

Amamentação: quais são os benefícios para você e para seu bebê?

Data de publicação: 25/09/2018 17:00:00
Categoria: Gestação

O leite materno é o melhor alimento para um recém-nascido. Até os seis meses de idade, nem mesmo água é necessária para complementar a dieta do bebê, que é suprida pelo leite da mãe. Além de servir como alimento, o leite materno contribuí como protetor contra doenças e como fortalecedor dos laços entre mãe e bebê.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno até os dois anos de idade. Nos primeiros seis meses, a alimentação do bebê deve ser feita exclusivamente com leite materno, metade dela até os 12 meses, e até um terço da alimentação deve ser feita por meio da amamentação até o segundo ano.

Quais são os benefícios da amamentação para os bebês?
Não há alimento mais preciso para os bebês que o leite da mãe. Logo nos primeiros dias de vida, é o colostro que dá ao filho os anticorpos da mãe, protegendo a criança de doenças e infecções. Entre as doenças neonatais que podem ser evitadas por meio do aleitamento materno estão infecções no sistema respiratório, resfriados, alergias, diabetes e até leucemia infantil. Crianças que são amamentadas com leite materno também têm menos chance de tornarem-se obesas, desenvolver hipertensão e colesterol alto.

Sugar o peito ajuda no desenvolvimento da face da criança, influencia a fala e a boa respiração. Outra característica positiva das crianças alimentadas no peito é a inteligência. Estudos indicam que o leite materno tem a capacidade de melhorar o desenvolvimento cognitivo dos bebês, tornando-os mais inteligentes.

Quais são os benefícios da amamentação para as mães?
Amamentar também traz benefícios para as mães. Além de ser a melhor forma de alimentar o filho, a amamentação também colabora com a recuperação da mãe após o parto. A ocitocina, liberada durante a amamentação, ajuda na contração e redução do útero ao seu tamanho original.

Além disso, mães que amamentam têm menos sangramentos e perdem mais peso a partir do terceiro mês de amamentação. As chances de desenvolvimento de depressão são menores e, além disso, o aleitamento materno cria vínculos afetivos mais fortes com a criança.

Como tornar a amamentação mais fácil?
É normal que a criança mame com mais frequência e em horários desregulados nos primeiros meses. É indicado que o número de mamadas esteja de acordo com a demanda do bebê, o que pode variar entre oito a doze mamadas por dia.

A melhor posição para amamentar é aquela em que mãe e filho se sentem confortáveis. O corpo do bebê deve estar de frente para o da mãe, com a coluna em linha reta. É importante não apressar a criança e a troca de mama deve ser feita quando o bebê já esvaziou a que estava sugando. Quando os seios estão muito cheios de leite, é recomendado amaciar os mamilos apertando-os com os dedos e liberando leite.

Alguns sinais de que o bebê está mamando da maneira correta são: boca bem aberta, lábios virados para fora, queixo tocando o peito da mãe, aréola mais visível na parte superior que inferior, e língua envolvendo o bico do peito.

Como cuidar dos seios?
Ao amamentar o bebê, as mães podem ser desencorajadas por dores ou rachaduras, porém, existem algumas maneiras de preveni-las. Quanto maior a parte da aréola abocanhada pelo bebê, melhor a sucção e menor é o risco de rachaduras, por exemplo.

O uso de sabonetes, cremes e pomadas nos mamilos não é indicado. Além disso, banhos de sol nas mamas por 15 minutos, até 10 horas da manhã ou após as 16 horas são recomendados.

Mamadeiras e chupetas
De acordo com o Ministério da Saúde, as mamadeiras e chupetas podem fazer com que o bebê deixe de buscar o peito materno. O estranhamento do bico dos seios em comparação aos sintéticos pode fazer com que a criança não queira mais mamar no peito. Por isso, o uso desses acessórios não é recomendado.

Fontes

Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim
Diretor Técnico: Geraldo Majjela

  • Gostou? Compartilhe: