Hepatites Virais: o que você precisa saber sobre a doença SalutemPlus

Hepatites Virais: o que você precisa saber sobre a doença

Data de publicação: 28/07/2018 00:00:00
Categoria: Doenças

As hepatites são doenças que afetam o fígado, provocando inflamação, que pode ser causada por cinco tipos de vírus: A, B, C, D e E, sendo o último mais comum nos continentes africano e asiático.

Desde 2010, o dia 28 de julho é considerado como o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais. A hepatite do tipo C é a maior responsável pelas mortes relacionadas às hepatites no Brasil. De acordo com dados do Ministério da Saúde, entre 1999 e 2017, foram registrados 587.821 casos de hepatites virais no Brasil.

Quais são os sintomas?
As hepatites virais costumam ser assintomáticas e, justamente por isso são perigosas. Quando não diagnosticada e tratada, a inflamação no fígado pode assumir formas agudas e crônicas, levando à cirrose ou ao câncer de fígado.

Quando o paciente infectado apresenta sintomas, eles são: febre, vômitos, fraqueza, mal estar, enjôos, perda de apetite, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina muito escura e fezes esbranquiçadas. É sempre importante prevenir-se e buscar ajuda médica na presença de qualquer sintoma, para que a doença não progrida e possa ser tratada da maneira correta.

Exames de sangue específicos são necessários para diagnosticar as hepatites dos tipos B, C e D. Já para a hepatite A, além de ser diagnosticada por exame laboratorial, é possivel traçar um histórico para investigar vínculos epidemiológicos com outras pessoas.

Como as hepatites virais são transmitidas?
A hepatite A tem transmissão fecal-oral, ou seja, pode ser contraída por meio de água, alimentos ou objetos contaminados, contato com outras pessoas ou mãos mal lavadas. Mais grave em adultos que em crianças, a doença pode levar a óbito em casos agudos, que são raros. A hepatite E, que é rara no Brasil, tem a mesma forma de transmissão e pode ser mais severa em gestantes.

Já a hepatite B é uma doença sexualmente transmissível, que também pode ser contraída no compartilhamento de objetos como agulhas, lâminas de barbear, escovas de dente, e outros utensílios usados para tratamentos médicos, tatuagens e piercings.

De mãe para filho, a transmissão de hepatite B pode acontecer durante o parto, no contato com o sangue da mãe. A amamentação, porém, não é contra-indiciada, desde que a criança seja vacinada nas primeiras 12h de vida.

A transmissão de hepatite C acontece principalmente pelo sangue. Formas de contágio menos frequentes, mas também possíveis, são as relações sexuais e o parto, por isso é importante a prevenção. Já no caso da hepatite D, que só ocorre em quem já foi infectado pelo vírus da hepatite B, as formas de transmissão são as mesmas do tipo B.

Como prevenir das hepatites virais? 
Existem vacinas para as hepatites dos tipos A e B, oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e as pessoas que já foram infectadas pela hepatite A tornam-se imunes a este tipo da doença, mas não aos outros tipos.

A principal forma de prevenção às hepatites A e E é a higiene pessoal, de alimentos, de utensílios de cozinha e outros objetos de uso pessoal.

Contra as hepatites B, C e D, é importante vacinar-se (contra o tipo B), usar preservativo em relações sexuais (o que inclui o sexo oral), além de exigir material esterilizado e descartável em qualquer procedimento que envolva agulhas e objetos cortantes.

Fontes
Ministério da Saúde
Biblioteca Virtual em Saúde - 1
Biblioteca Virtual em Saúde - 2

Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim
Diretor Geral: Geraldo Majella


  • Gostou? Compartilhe: