Hipertensão: doença silenciosa e traiçoeira que deve ser monitorada SalutemPlus

Hipertensão: doença silenciosa e traiçoeira que deve ser monitorada

Data de publicação: 26/04/2018 17:12:00
Categoria: Calendário da Saúde

Para os brasileiros, o dia 26 de abril é o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, doença que, em 2013, já atingia 31,2 milhões de pessoas no país, de acordo com dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS).

Não é por ser comum que hipertensão pode ser considerada menos grave. A enfermidade pode causar danos cardiovasculares fatais, além de danificar órgãos como cérebro, coração, olhos e rins.

O que é pressão alta?
A hipertensão arterial, popularmente conhecida como pressão alta, acontece quando há um estreitamento dos vasos sanguíneos, que passam a não suportar a pressão do fluxo de sangue bombeado pelo coração, o que pode causar danos na estrutura dos vasos sanguíneos e até mesmo sua ruptura.

Um paciente com pressão arterial freqüentemente acima de 140 por 90 mmHg, já é considerado hipertenso, mesmo que não tenha nenhum sintoma da doença. Silenciosa, a hipertensão pode se desenvolver ao longo dos anos, de acordo com os hábitos do paciente e sua herança genética, e o diagnóstico precoce é importante para impedir que quadros mais graves se desenvolvam, como ataques cardíacos e derrames.

Quais são os sintomas dessa doença?
Em casos mais graves de pressão alta, o paciente pode sentir dores de cabeça, falta de ar, ter hemorragias nasais, tontura, dores no peito e até mesmo perceber sangue na urina. Nesses casos, é necessário buscar ajuda médica imediata, para prevenir um agravamento dos sintomas.

A melhor forma de saber se há hipertensão é pedir ao médico que faça a aferição da pressão arterial nas consultas médicas. Se existem casos da doença na família, esse controle deve ser ainda mais rigoroso, pois o fator hereditário é a causa de 90% dos casos de pressão alta.

O que causa a pressão alta?
Vários fatores podem levar à hipertensão. A genética é um dos fatores mais comuns relacionados à doença. O estilo de vida e a alimentação também têm um papel importante nas mudanças do organismo e podem ser determinantes para o desenvolvimento da pressão alta. A maior incidência da doença se dá entre indivíduos negros, homens com até 50 anos, mulheres acima de 50 anos, e em diabéticos.

Existem ainda os casos em que a hipertensão surge de forma abrupta e mais grave, relacionada a doenças renais, problemas cardíacos, abuso de drogas e álcool, e até mesmo como efeito colateral de outros medicamentos.

Enquanto o primeiro tipo de hipertensão, é tratado com medicamentos e mudanças no estilo de vida, o segundo tipo recebe tratamento direcionado para as doenças que são a causa da alta pressão arterial.


Como prevenir a hipertensão?
Para manter um organismo saudável e prevenir diversos tipos de doenças, a combinação de uma dieta balanceada, exercícios regulares e gerenciamento de estresse é necessária. Além disso, redução e a interrupção de uso de substâncias como álcool e tabaco também é aconselhada.

Na dieta, frutas, legumes, grãos integrais e proteínas magras são grandes aliados, assim como a redução de gorduras trans e saturadas, o consumo de sal e açúcares. Esses alimentos são combustíveis para uma rotina que deve incluir ao menos 30 minutos de exercícios moderados diariamente.

As atividades físicas são uma forma de perder peso, manter-se ativo e também de controlar o estresse, que é um fator decisivo na prevenção e no tratamento da hipertensão. Para manter a mente mais calma e a qualidade de vida, meditação, massagens, yoga, taichi e exercícios de respiração são algumas opções.

Fontes

Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Design: Raphael Alpoim
Diretor Geral: Geraldo Majella

  • Gostou? Compartilhe: