Uma mulher levando as mãos a cabeça por dor de enxaqueca, com os dizeres: Condições de saúde ligadas à enxaqueca: saiba como tratar

Condições de saúde ligadas à enxaqueca: saiba como tratar

Data de publicação: 05/06/2019 11:09:00
Categoria: Doenças e Sintomas

Por Debra Fulghum Bruce

A enxaqueca crônica é uma doença que pode estar relacionada a outras, como a depressão, a ansiedade e a síndrome do intestino irritável – de acordo com informações da American Migraine Foundation. Essa correlação entre enfermidades é chamada comorbidade – o que indica relação estatística de duas doenças distintas na mesma pessoa.

Dados do Fórum de Políticas de Cefaleia e Enxaqueca, de 2017, revelaram que cerca de 90% dos pacientes com enxaqueca crônica apresentam condição comórbida, e o tratamento dessas condições está diretamente relacionado à melhora da enxaqueca crônica.

A fibromialgia, condição que causa dor muscular difusa e sensibilidade em alguns pontos no corpo, é um tipo de dor crônica que pode estar relacionada à enxaqueca, de acordo com uma revisão publicada na revista Frontiers in Neurology.

De acordo com estudos, as mulheres sofrem mais com essa comorbidade e, além disso, pacientes com fibromialgia costumam sofrer também de insônia e síndrome do intestino irritável (SII) e estresse mental – que são comorbidades de enxaqueca.

Os distúrbios de saúde mental também estão relacionados à enxaqueca, e tratar essas comorbidades pode ajudar a aliviar as dores de cabeça, de acordo com a neurologista e diretora do programa de dor orofacial da Universidade de Stanford, na Califórnia, Meredith Barad.

As principais enfermidades mentais que se sobrepõe às dores de cabeça crônicas são depressão, transtorno de ansiedade, transtorno bipolar e pensamentos suicidas.

Dados publicados em 2017, na revista Medicine, indicam que pacientes com síndrome do intestino irritável (SII) compartilham fatores de risco com os pacientes com enxaqueca crônica. As duas condições afetam com mais frequências as mulheres e adultos jovens. 

Uma outra pesquisa, publicada em 2016, no World Journal of Gastroenterology, relaciona essa comorbidade a disfunções no tecido muscular liso, que compõe o trato intestinal.

Os casos mais graves e frequentes de enxaqueca costumam estar associados a distúrbios do sono, de acordo com pesquisa publicada na revista Headache, em 2018. Além da insônia, que é a comorbidade mais comum, ronco, apneia do sono, síndrome das pernas inquietas e atrasos nas fases do sono (distúrbios do ritmo circadiano) fazem parte da lista.

Como enfrentar as comorbidades da enxaqueca?
O primeiro passo para um tratamento eficaz da enxaqueca e suas comorbidades é um diagnóstico preciso. A investigação médica pode exigir diversos exames para determinar as causas de problemas como a ansiedade ou a síndrome do intestino irritável, por exemplo. Depois do diagnóstico, o médico indicará o melhor tratamento para as condições existentes.

Além do tratamento regular, manter uma rotina pode ajudar os pacientes de enxaqueca a terem mais tranquilidade. Realizar as refeições em horários rotineiros, assim como dormir em horários regulares e realizar exercícios físicos de forma consistente são formas de driblar a doença.

Para os especialistas, manter um horário regular de sono é de extrema importância, já que o cérebro dos pacientes com enxaqueca é particularmente sensível à mudança. Na alimentação, é importante reduzir álcool e cafeína, além de alimentos processados.
Fonte:
Tradutora e redatora: Daniela Souza
Revisora: Paula Ávila
Designer: Raphael Alpoim
Diretor Geral: Geraldo Majella


  • Gostou? Compartilhe: